Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há horas assim

Livro em construção

Livro em construção

Há horas assim

14
Out17

Flores (se fosse possível) invisíveis

correspondente

De modo a evitar equívocos, tudo o que vou contar a seguir, não é pura imaginação, mas também não se passou comigo, como de costume, foi com um amigo, com um amigo sempre conveniente, sempre à mão-de-semear, quando queremos contar alguma coisa mais comprometedora, para nós, ou para alguém nosso conhecido.

 

Então, há alguns anos, estava esse meu amigo no seu trabalho, sentadinho à sua secretária, do outro lado da sala, noutra secretária, estava a sua colega de gabinete e, era a paz total, o chefe e o patrão, possivelmente ainda entretidos à mesa, no almoço, estavam, por enquanto, ausentes, portanto, patrão fora, dia santo na loja, ou seja, a trabalhar, deviam estar, esses dois, mas numa velocidade “cruzeiro”, sem pressas.

Com pressa, veio, esse sim, o estafeta, aquele que lhes apareceu à frente, carregado com um enorme ramo de flores. Feita a entrega, num estalar de dedos, desapareceu. Não, o ramo, não era para o meu amigo, nem para a sua colega, era para o chefe deles. A colega, espreitou o cartãozinho e, viu, era de, já que estamos em maré de amigos, uma “amiga”. O referido ramo de flores, talvez por uma questão de espaço, ficou a aguardar a entrega, ao destinatário final, junto à secretária do meu amigo.

Finalmente, patrão e chefe, bem-dispostos, chegaram. O meu amigo nem deixou o chefe respirar, num pulo, foi até junto deles, de ramo na mão e, possivelmente, com ar presenteiro, ao mesmo tempo que estendia o ramo na direcção do chefe, disse:

- São para si!

- Para si!?

Exclamou, interrogou, logo, o patrão.

O chefe deu uma olhadela ao cartão e, meio embaraçado, ficou de ramo na mão, sem saber bem o que fazer naquele momento.

Notando o embaraço, o patrão, picado, pelos olhares cúmplices, do meu amigo e da sua colega, sem rodeios:

- Quem lhe enviou isso X?

- Foi, foi, um amigo.

Respondeu, sem pensar, o chefe, de pronto.

- Um amigo!!!

Abriu a boca, de espanto, sem acreditar naquilo que acabara de ouvir, o patrão.

Naquele dia era o dia dos namorados e, da esposa do chefe, a proveniência do ramo, era certo, não tinha sido.

Foi pior a emenda que o soneto.

O lindo ramo, ao final do dia, por mero acaso, ficou esquecido, ali, no escritório. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub